Feeds:
Posts
Comentários

Neste sábado fizemos uma programação muito gostosa que é a cara de São Paulo. Começamos a noite assistindo à peça Os Altruistas na Augusta, ótima! Um humor ácido e cheia de cinismo, diversão garantida. Não bastasse, depois fomos comer uma coisinha no Alucci Alucci.

Jardins, São Paulo

A ideia era manter o nível da diversão, então, a escolha não podia ser melhor. Já conhecíamos o lugar, lá é super astral, música boa, gente bonita, meia luz, um clima mais festa sem deixar de ter um lado intimista. Quem quer badalar, o andar térreo é o lugar. Já quem quer curtir o som a dois, o andar de cima é uma boa pedida, e nós aceitamos ; )

Um bom drink pra continuar a noite, Tropical – Absolut Vanilla, Xarope de Melancia, Limão, Suco de Laranja e Abacaxi pra mim, parece suquinho, mas não é! E uma Caipirinha Clássica de Lichia pro Fábio. Só pra começar…

Drink Tropical e Caipirinha de Lichia

Ficamos só petiscando, o clima pedia. Tacos Brasileiros – Tapioca recheada de Carne Seca, Beef Thai na Concha de Alface, Sushi de Magret de Pato com Bolinho de Arroz e Laranja e pra fechar Roll de Queijo de Cabra. Tudo bem gostoso, só o molho de pimenta que acompanhava os tacos que era realmente muuuito forte. Nossa!

Tacos Brasileiros e Pimenta, que pimenta!!!

Beef Thai na Concha de Alface

Sushi de Magret de Pato, Bolinho de Arroz e Laranja

Roll de Queijo de Cabra

Um programinha básico num sábado à noite em São Paulo, mas o básico por aqui sempre é tudo de bom. Cultura, música, drinks, boa comida, noite descontraída…  a cara da cidade. E a nossa também!

A noite é uma criança...

Anúncios

Ipanema, Rio de Janeiro

Em uma de nossas muitas escapadas ao Rio de Janeiro, voltamos ao Satyricom, um italiano muito diferenciado em Ipanema onde a gente como mais do que bem, maravilhosamente. Conhecemos o lugar há uns anos atrás quando o Fábio morava no Rio. Nesse mesmo feriado em 2010 estávamos na cidade e fomos lá reviver uma experiência inesquecível.

Frutos do mar frescos... tadinhos!

O restaurante tem um estilo requintado, mais clássico, e o clima é muito agradável. Inspirador para um jantarzinho a dois. Queríamos muito comer um bom peixe, e aí não tivemos dúvida, o Satyricom foi nossa primeira opção.

Eles servem um Couvert Fantasia – variedade de pães italianos feitos em casa, azeite extra virgem, manteiga e antipastos italianos, que é um exagero! Mas dos bons. Eu me concentro sempre nos pães porque são tão saborosos que não consigo dividir minha atenção. Já o Fábio adora provar tudo.

Couvert Fantasia, e é só o começo...

Gostamos mesmo de ir lá porque eles servem um peixe que é de outro mundo. Acaba que sempre pedimos a mesma coisa, Pargo naturale al sale grosso, assado no sal grosso, e de acompanhamento Riso al limone. Lemos e relemos o cardápio, mas na hora de escolher sempre hesitamos… esse peixe simplesmente não sai da nossa mente. Aí, caímos na tentação de prová-lo novamente. E não há arrependimento! Ao contrário, é sempre um sabor divino.

Pargo naturale al sale grosso chegando à mesa

Pargo al sale grosso e Riso al limone, sabor único!

Não tem como errar, ir ao Satyricom é sempre garantia de comer muito bem, curtir um clima intimista e ainda há a chance de esbarrar com alguém famoso, nesse dia foi com o autor Manoel Carlos. Sem falar no atendimento cordial e discreto que encanta pela sua elegância sem frescura.

Mas a diversão não estaria completa sem uma deliciosa sobremesa. A pedida da noite foi um Tiramisú. Clássico, intenso e na medida pra completar a sinfonia.

Tiramisù, um clássico delicioso

O Rio de Janeiro é sempre uma viagem incrível, mas nem só de praia e petiscos se curte a cidade. Tem um lado sofisticado que faz dela a mais completa de todas. De dia pura diversão informal, à noite a magia de um jantar sofisticado. E essa noite foi realmente inspirada. A emoção foi tanta que eu até esqueci de tirar uma foto nossa. Mas está mais do que registrado na memória ★

É engraçado, mas Porto Alegre tem esse efeito. Quando morava lá, acabava me acomodando e indo sempre nos mesmos (bons) lugares, comendo mais em casa… Aí, acaba que você tem vários lugares que quer conhecer, mas sempre deixa pra depois. Era uma sensação de estar em casa e parecia que só quando viajava, era turista, que batia aquela sede de explorar o novo.

Santa Cecília, Porto Alegre

Pois eis que chegou o momento de ser turista em Porto Alegre! Morando longe de casa, quando a gente volta pra ver a família bate aquela euforia de aproveitar pra conhecer algum lugar que depois de tantos anos ainda não conhecíamos, ou então descobrir as novidades da cidade. Num desses momentos, fomos ao Polska, restaurante Polonês que sempre esteve ali pertinho da gente e até então não tinha recebido nossa atenção.

Agora na pele de “turistas em casa”, o Polska foi um dos primeiros lugares que fomos explorar numa escapada de final de semana à terrinha. Um casarão com ambiente super aconchegante e familiar, decoração típica e uma coleção de bonecas. Simples, mas com uma atmosfera agradável. E a comida…

Bonecas e mais bonecas, uma super coleção

Pra começar a falar da comida, posso dizer que é tudo de bom. Escolhemos a época certa pra ir lá: o inverno! Sério, a comilança é tanta que só no inverno pra conseguir dar conta.

Buffet de sopas à vontade

Sopinha de beterraba pra começar

Além do buffet de sopas como entrada, a casa serve uma Mesa Polonesa que é uma perdição de sabores e um estímulo ao pecado da gula! De Cenoura ao mel com kümmel a Wieprzovina smaiona – role de lombo de porco recheado com pepino em conserva as tentações eram muitas. Provamos de tudo e depois nos concentramos nos preferidos ; )

Mesa Polonesa: praticamente um banquete!

Ainda tinha Kluski ao molho de nata e funghi, que eu adorei; Pierogi – pastel cozido de ricota e batata com cebolinha frita, também muito saboroso; Cwikla – beterraba com raíz forte e Mizeria – pepino com nata, que não tiveram vez diante de tantas gostosuras! Placek po cygansku – panqueca de batata com goulash, um dos que mais agradou o Fábio; Knedle – bolinha de batata cozida recheada com ameixa, curto doce com salgado, mas no Polska os salgados ganharam disparado! Kotlet z drobiu – frango frito ao molho de mostarda, nossa, sem explicação!!Filé ao molho caçador, carne sempre merece a atenção do Fábio, Wieprzovina Smaiona – rolo de lombo de porco recheado com pepino de conserva, uau, por que é tão bom uma fritura, hein?! E por último, mas não menos saboroso, Pato ao molho de cogumelo. Ufa! 

Kluski ao molho de nata e funghi

Pierogi, pastéis de ricota e batata ao molho de nata

Cwikla ao fundo e Mizeria à frente

Placek po Cygansku - panqueca de batata com goulash

Knedle com ameixa e Kotlet z Drobiu - frango e mostarda

Filé ao Molho Caçador e Wieprzovina Smaiona

Pato ao molho de cogumelo, muuuito sabor

Por incrível que pareça, é claro que eu guardei um espaço pra sobremesa! Não seria uma experiência completa. Escolhi um Szarlotka z Jablek – Bolo de Maçã, Sorvete, Nata e Molho de Morangos. Bem bom!

Nada mal esse espírito turístico que nos assaltou de repente. Isso já tem mais de um ano e aquela foi uma noite ótima. Nos empolgamos pra uma próxima, e desde então já rolam várias que dividirei por aqui em breve.

De sobremesa, um Szarlotka z Jablek, claro!

Agora descobrindo Porto Alegre como turistas!

Bagueterie Toulouse, Campo Belo, São Paulo

Pertinho de casa, essa era nossa padaria de todos os dias no Campo Belo. Buscar um pão fresquinho antes de chegar em casa à noite, ou o tradicional café da manhã de domingo fora de casa. Íamos a pé curtindo o sol, o friozinho ou mesmo o dia cinza. Bem vindo ao dia a dia.

Além dos frios e queijos fatiados na hora, várias opções de pães, vinhos e um chocolate quente delicioso. Sem falar no pão na chata com requeijão que é bem tradicional por lá.

Café da manhã básico no final de semana

Como íamos sempre, cada vez era um cardápio. Nesse dia tomamos um suco natural de laranja, o Fábio comeu pão com mortadela e tomou um cafezinho, eu comi pão com queijo quente e tomei chocolate batido.

Quando tinha espera, a gente atravessava a rua e aproveitava pra dar uma folhada numas revistas na banca e comprar a leitura da semana.

Sanduba de mortadela

Sanduba de queijo quente

A padoca é simples, mas a comida é bem gostosa, adoro o chocolate quente de lá, e o pão é sempre crocante. Nada como dar uma caminhada básica pelo bairro e curtir uma boa refeição na vizinhança pra começar bem o dia. Pequenas rotinas que fazem a diferença.

Bom dia todos os dias!

A Gol tinha todo um conceito de ser uma companhia aérea de baixo custo, e com isso também o lanche dos voos entravam no conceito. Então, o tempo passou, a Gol de barata não tem é mais nada. Dependendo do horário, é mais cara que a Tam. Nos outros, só perde pra esta que é a mais cara de todas…

Enfim, os preços subiram, mas a qualidade do lanche segue firme e forte no conceito de baixo custo, mas agora só pra eles, não pro cliente!

O lanche segue o mesmo, mas o preço dos voos...

Low cost não sei, mas low food...

Ano passado teve a Bienal do Livro em São Paulo, e nessa edição do evento teve um espaço bem bacana dedicado à gastronomia chamado “Cozinhando com Palavras”. Era uma programação diária ao longo de toda a semana da Bienal com discussões de diferentes temas e também a execução de algumas receitas.

Cinema e Gastronomia na Bienal do Livro

A Laura e eu fomos na Bienal um dia para uma pesquisa de trabalho, depois, aproveitamos para participar de um dos cursos que estavam começando e estender nossa pesquisa à gastronomia ✔ Nesse dia tivemos a chance de assistir à palestra Cinema e Gastronomia.

Chef Mellão e a cozinha show ao vivo

Os jornalistas e autores do livro O Cinema vai à Mesa, Rubens Ewald Filho e Nilu Lebert, falaram sobre filmes onde a gastronomia teve seu peso no enredo, enquanto eles passavam trechos dos filmes e comandavam o bate papo, o chef Hamilton Mellão preparava uma receita do filme O Tempero da Vida, as Almôndegas Vassilis, prato com o nome de um dos personagens.

Rubens Ewald e Nilu falam de filmes e comidas

Foi muito legal, uma viagem por diferentes histórias e culinárias nos mais variados estilos de filmes. Uma sensação gostosa de revisitar alguns, de descobrir outros e de ver todos de uma nova perspectiva. Saí de lá querendo comprar todos e assistir em casa. E na real o fiz, comprei todos que encontrei!

Mão na massa, muitos bolinhos pra enrolar!

Enquanto as almôndegas fritam, o papo segue

A almôndega já estava perfumando o ar enquanto o papo seguia, estava irresistível. Na receita vai um pouco de canela, explicado! No final do encontro serviram para todos na platéia uma porção para experimentarmos…  sério, muito bom! O aroma, o sabor, a combinação com a coalhada e os temperinhos… hummm!

Hora de experimentar! O cheirinho... uau!

Nossa pesquisa rendeu muitos aprendizados nesse dia. E descobrir alguns filmes bacanas, provar essa pequena bolinha aromática foram apenas o começo, pois saí dali com muita inspiração pra novas experiências.

Muitos aprendizados hoje!

Beijupirá

Porto de Galinhas, Pernambuco

Ainda em Porto de Galinhas ano passado, seguimos comemorando meu aniversário num jantarzinho especial. Tinha anos que queríamos ir pra lá e conhecer o Beijupirá, mas entre tantas opções de destinos acabava ficando pra depois. Tardou, mas valeu muito a pena! Esse presente foi realmente inspirador.

Já entramos no clima na chega

Depois de um dia de descanso na praia, jantar no Beijupirá foi o clímax! O lugar é realmente peculiar, nada muito sofisticado, mas com um estilo todo próprio que encanta. É uma mistura de referências locais, artesanato e criações inusitadas. Em outro contexto poderia ser até meio brega ou exagerado, mas lá tudo faz sentido e se encaixa. Sente só o clima único do lugar…

Pra embalar a noite e começar a animar, Piña Descolada pra mim e Caipirinha de caju e limão pra nós! ; ) Mais um brinde ao meu aniversário, ao amor e às coisas boas da vida!

Piña descolada, a mí me gusta!

Caipirinha de caju e limão, delícia!

Saúde!

Casquinho Beijupirá, casquinha de caranguejo na versão particular do Beijupirá,Queijo coalho flambado, entradinhas pra esquentar o clima. Comer aqui é redescobrir sabores e experimentar jeitos novos de apreciar comidinhas tradicionais.

Casquinho Beijupirá, uma versão peculiar

Queijo coalho em chamas!

Detalhes peculiares pra combinar com o clima local

Porta talheres divertido

Escolher entre tantas criações inusitadas não foi nada fácil, adoro experimentar o que é diferente, e lá é o que mais tem! O Beijupirá também faz parte da Boa Lembrança, o Fábio comeu este prato: Borapirabeiju, peixe com orégano, legumes (batata, abobrinha e salada tomate), arroz com cebola roxa e alcaparras e molho de maracujá. Já eu, depois de muita dúvida, escolhi o Beijucanela, peixe com canela e cardomomo, banana flambada com coco ralado, arroz de curry e molho de tamarindo. O aroma dos pratos era incrível, só por essa experiência já valeu a escolha.

Borapirabeiju

Beijucanela

Exótico é o mínimo pra se dizer sobre a comida! Uma combinação de sabores muito diferente, a cada garfada uma descoberta. Mas não parou por aí, de sobremesa, Aussuba (amar em Tupi) crepe de filhoses com sorvete de tapioca, calda de mel de engenho perfumado com cachaça especial e farofa de caju.

Uma aguinha de coco pra equilibrar ; )

Aussuba, mais do que saborear, amar!

Como tudo mais, a sobremesa era saborosa e única. Nada menos que isso pra fechar bem a noite. Inspiração pura do início ao fim!

Muitas boas lembranças...

Assim, quem não gosta de aniversário todo dia?!

%d blogueiros gostam disto: